Back to Blog

Investir em um setor de prevenção à fraude interno ou terceirizar o serviço?

Carla Dualib

Leia o nosso conteúdo ou clique no play para ouvir a narração se você está sem tempo e gostaria de fazer isso enquanto dirige, caminha ou realiza outra atividade!

Se você acessou este blog é porque você já entendeu a importância de contar com o suporte de um setor de prevenção à fraude, correto?

Afinal, como já explicamos neste blog aqui, está enganado quem pensa que setor antifraude só é necessário em bancos. 

Atualmente, as fraudes estão presentes nos mais diferentes segmentos e os criminosos atuam dos mais variados jeitos. 

Em um cenário assim, um serviço antifraude vem para ajudar a monitorar qualquer movimentação que possa ser fraudada e causar prejuízos ou danos ao consumidor e à empresa. 

Contudo, ao você se certificar dessa necessidade, é natural surgir a pergunta: investir em um setor de prevenção à fraude ou terceirizar o serviço?

É o que vamos discutir melhor aqui neste blog. Então, se essa dúvida também é sua, basta seguir com a leitura e você vai perceber que a resposta pode não ser tão óbvia quanto se pensa.


Setor de prevenção à fraude interno


Para começar, vamos refletir sobre a necessidade de contar com um setor de prevenção à interno na sua empresa.

A principal vantagem dessa opção está em contar integralmente com a dedicação dos funcionários que vão compor seu setor, diferente do que ocorre quando você terceiriza o serviço.

Contudo, é nosso dever alertar que essa é uma decisão que pode pesar no bolso, afinal, sua empresa vai ter de arcar com toda infraestrutura e despesas trabalhistas necessárias para viabilização do setor.

Como são muitos os conhecimentos necessários, é possível que você encontre dificuldades para contratar profissionais que dominem todos eles. 

Além disso, cabe lembrar que sua empresa vai precisar disponibilizar aprendizado contínuo para a equipe não ficar tecnicamente defasada, uma vez que estamos falando de um setor em constante mudança e com alto grau de tecnologia envolvida.

Por fim, outro ponto que consideramos importante levar em conta na sua decisão é o nível de automação dos processos que você vai implementar. 

A falta de expertise na área pode fazer com que você adote processos mais manuais, o que pode demandar o envolvimento de mais funcionários e ainda comprometer a experiência do usuário que faz uso dos serviços disponibilizados junto à plataforma do seu negócio.

Um exemplo é o processo de onboarding, ou seja, o processo de entrada e validação de novos usuários em uma base de dados. Quando realizado de forma manual, tem tempo total de 3 a 5 dias e pode envolver até 3 funcionários. Enquanto isso, o onboarding digital possui tempo total de 4 minutos e conta com apenas 1 funcionário envolvido. 


>> Clique aqui e saiba mais sobre SLA em prevenção à fraude (tempo de resposta ao cliente)


Serviço de prevenção à fraude terceirizado


Agora que já falamos um pouco sobre a opção de contar com um setor de prevenção à fraude interno, vamos refletir sobre a alternativa de terceirizar o serviço, seja de forma parcial ou total. 

Aqui, uma das principais vantagens está na possibilidade de adaptar soluções de acordo com suas necessidades e nível de segurança exigido, recorrendo às empresas especializadas que possuem uma equipe qualificada com a devida expertise para o manuseio das mais sofisticadas tecnologias existentes hoje no mercado.

O melhor exemplo que podemos citar é o da própria Combate à Fraude, que já soma quase 200profissionais espalhados pelo Brasil atuando de forma especializada no fornecimento de serviços como onboarding digital, biometria facial, documentoscopia semi-digital, background check e autenticação multifator.

O nosso time possui mais de 40 anos de experiência em perícia documental e jurídico criminal, já tendo trabalhado junto aos maiores bancos, seguradoras e fintechs do mercado brasileiro. Pode ter certeza, já vimos de tudo.

Além de gerar suporte especializado à sua empresa, a terceirização do serviço de prevenção à fraude acaba por resultar em um atendimento mais eficaz das suas demandas, bem como das demandas do seu cliente, e ainda reduzindo seus custos fixos e operacionais.


Conclusão


Depois de tudo que foi exposto aqui, você talvez acredite que vamos concluir dizendo que você deve escolher entre um setor de prevenção à fraude interno ou a terceirização do serviço. 

Porém, o que acreditamos ser o melhor caminho é combinar os dois mundos, aliando uma estrutura mínima própria com todas as vantagens já citadas de terceirizar sua operação de prevenção à fraude. 

Enquanto sua própria equipe pode atuar com foco no controle interno e na medição e acompanhamento de resultados, seu parceiro terceirizado pode ficar responsável por toda a parte operacional e o suporte técnico ao setor de prevenção à fraude da sua empresa. 

Saiba que terceirizar serviços de prevenção à fraude (de forma total ou parcial) é uma tendência de mercado, já adotada por grandes players do mercado. Basta observar nossa cartela de clientes e você vai encontrar nela grandes marcas, como Magalu, BRB, iFood, Sky e tantas outras.

Clique aqui para falar com um de nossos especialistas e conhecer todas as soluções da Combate à Fraude para fortalecer e qualificar os resultados do seu setor de prevenção à fraude.

Mais artigos

ISO/IEC 30107-3: entenda a importância do atestado de conformidade concedido pelo iBeta

Confira o que é a ISO 30107-3 e o que significa obter o atestado de conformidade por parte do iBeta

Read Story

Retrospectiva 2021: o ano para a Combate à Fraude

A retrospectiva de 2021 nos faz ter a certeza de que estamos no caminho certo e de que muitas coisas boas ainda estão por vir.

Read Story

O que é e como funciona a MFA (Autenticação Multifator)?

Autenticação multifator pode ser uma aliada do seu negócio para ajudar na proteção dos seus usuários.

Read Story

Não perca uma postagem.

Se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo assim que publicado.
Não iremos compartilhar seu email com terceiros.