Back to Blog

Segurança para serviços de outsourcing, como garantir?

Natália Lord

A facilidade que as plataformas de outsourcing oferecem para o dia a dia das pessoas é o que atrai: custos mais baixos, contratação ágil pelo smartphone, menos burocracias… A modalidade se espalhou rapidamente pelo mundo desde aplicativos de mobilidade até a prestação dos mais diversos tipos de serviços.

Depois que surgiu e ganhou popularidade, alguns pontos começaram a mostrar as fragilidades que precisam ser monitoradas para garantir a segurança de quem contrata o serviço, de quem presta o serviço e da marca que faz a intermediação. A maioria das empresas, então, passou a fazer verificações super rigorosas dos prestadores, mas abriu uma lacuna muito grande de quem são os clientes que contratam.

No Brasil, de janeiro a maio de 2021, foram 43 casos de homicídios contra motoristas de aplicativos de transporte, sem falar dos casos de assaltos, sequestros ou outros tipos de violência que podem acontecer. E como as plataformas de outsourcing podem oferecer mais segurança aos prestadores, como motoristas, faxineiras?


Como as plataformas garantem a segurança dos usuários?

Na maioria das plataformas, quando o prestador inicia o seu cadastro, uma série de documentos são exigidos e verificações são feitas para confirmar que se trata mesmo da pessoa e que ela cumpre os requisitos.

Dentro dessas verificações, se faz uma validação do documento e, com base no CPF informado, pesquisas de background check, com pesquisa de antecedentes criminais e dados específicos, como a CNH com a observação de atividade remunerada, no caso dos motoristas.

Dessa forma, as plataformas conseguem garantir que os prestadores são pessoas confiáveis e, em caso de ato que fuja do padrão, punir o responsável. 

Como proteger os prestadores?

Essas verificações de segurança são bem mais rasas quando falamos do cadastro de usuários. Isso acontece, geralmente, para facilitar o processo de onboarding e a experiência do usuário diminuindo exigências que possam causar fricção e fazer o usuário desistir do cadastro.

Porém, o aumento dos casos de violência contra prestadores, principalmente motoristas de aplicativos de mobilidade tem criado uma alerta sobre a necessidade de uma verificação mais severa.

Algumas ferramentas básicas podem ser incorporadas ao sistema de onboarding de passageiros ou qualquer outro tipo de contratante, como a exigência de uma selfie com prova de vida, que garantirá que o usuário é real e não se trata de uma foto de foto ou foto de vídeo; o facematch que fará um comparativo entre a selfie e a foto que consta no documento enviado; a biometria facial para consultar o CPF no banco de dados governamental e confirmar a identidade; a documentoscopia que pode identificar o uso de documentos falsos; o background check, que rapidamente consulta informações como endereço, antecedentes criminais e demais dados que podem ser configurados pela empresa mediadora.

Esse tipo de ferramenta é muito utilizada por bancos e fintechs para a validação dos usuários que estão abrindo uma conta, solicitando crédito e afins. Existem algumas variações, mas a combinação de todas as anteriores é a mais completa para barrar usuários que podem estar tentando se passar por outros com documentos falsos ou roubados.

A verificação completa pode barrar usuários mal intencionados e pode garantir ao prestador maior segurança, pois já se sabe que quem está solicitando o serviço é conhecido e verificado pela plataforma.

Embora atualmente as plataformas informem práticas para proteger os prestadores, como botões de alertas e gravação das viagens, a segurança dos terceirizados seria mais garantida com a confirmação completa da integridade e do perfil do usuário que está contratando o serviço. 


Como o reconhecimento facial pode aumentar a segurança?

Não basta saber quem está fazendo onboarding na plataforma, é necessário saber quem está utilizando no momento da contratação. O uso de ferramentas de MFA para o uso das ferramentas ou a liberação por senha, pode aumentar ainda mais a segurança. Assim como os casos de sequestro de contas de Whatsapp, o roubo de contas em aplicativos de outsourcing podem oferecer riscos a todos os envolvidos. Além disso, até casos de furtos de telefones podem ser um risco.


São diversas ferramentas que juntas podem oferecer maior segurança e tranquilidade a quem usa as plataformas, a quem oferece seu serviço através da terceirização e ainda para as próprias empresas, que protegem a sua marca de problemas envolvendo diversos crimes.


Mais artigos

Quanto custa uma fraude? - 4 coisas indispensáveis na estratégia antifraude

Apesar de representar um sério risco às empresas, muitas instituições não têm sistemas eficazes para lidar com fraudes e, muitas das que têm, usam ainda ferramentas manuais para a verificação. Existem 4 coisas que toda empresa deve considerar e que vai auxiliar muito na definição das estratégias.

Read Story

A importância da selfie no onboarding

Mesmo que pareça algo simples, ter o registro dessas informações é muito valioso e pode trazer resultados reais para o seu negócio. Por isso, é muito importante que essa etapa seja clara, fluida e segura.

Read Story

Como melhorar a experiência do usuário sem facilitar a entrada de fraudadores?

Os usuários, cada vez mais familiarizados com o digital, estão também, mais exigentes: não querem cadastros demorados, nem que exijam muitos dados. Só que, para manter a segurança, é necessário que a empresa conheça o cliente e tenha informações completas sobre ele.

Read Story

Não perca uma postagem.

Se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo assim que publicado.
Não iremos compartilhar seu email com terceiros.