Back to Blog

Como diminuir falsos positivos e falsos negativos no onboarding

Alan Faleiro

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo e ouça o conteúdo agora mesmo!

O seu processo de análise documental no onboarding resulta em um número elevado de falsos positivos e falsos negativos?

Diminuir essa ocorrência é importante para que sua empresa não perca oportunidades de negócio e tampouco acumule prejuízos que poderiam ser evitados.

Pensando nisso, nós criamos este post para explicar a origem dos falsos positivos e falsos negativos no onboarding e orientar sobre como agir para diminuir essas falhas. Siga com a leitura e confira!

O que são os falsos positivos e falsos negativos

Para o caso de você ainda não estar familiarizado com os termos “falsos positivos” e “falsos negativos” aplicados à análise documental, vamos começar trazendo aqui quais são os seus respectivos significados.

Para começar, quando falamos em falsos positivos, estamos nos referindo àqueles documentos aprovados, mas que deveriam ter sido reprovados por fraude, uma vez que apresentam alguma adulteração ou até mesmo pelo fato de serem uma reprodução muito fiel ao documento autêntico.

A consequência direta dos falsos positivos é que sua empresa fica exposta à ação de possíveis criminosos, que fazem uso de documentos falsos para se passar por outras pessoas e obter os mais variados tipos de vantagens, trazendo prejuízos tanto para quem teve seu nome usado por esses golpistas quanto para você e o seu negócio.

Já os falsos negativos dizem respeito àqueles documentos reprovados por fraude, mas que deveriam ter sido aprovados.

Os principais motivos da incidência desse tipo de falha costumam ser a baixa qualidade da captura dos documentos e a dificuldade de identificar exceções nas regras de documentos de determinados estados e períodos. 

Nesse caso, o resultado dessa falha de processo é que a sua empresa pode estar fechando as portas para uma série de oportunidades de negócio junto aos donos dos documentos reprovados, sejam eles clientes, parceiros ou fornecedores.

Ou seja, como podemos ver, tanto os falsos positivos quanto os falsos negativos podem resultar em prejuízos significativos para uma empresa. 

No próximo tópico, nós explicamos como é possível diminuir a ocorrência dessas falhas e ser mais assertivo no momento de decidir sobre permitir ou negar a entrada de um usuário em processo de onboarding. Vamos lá?

Conheça a melhor solução para diminuir falhas

A diminuição de falsos positivos e falsos negativos no onboarding está intimamente ligada com a adoção de processos digitalizados, automáticos e que possuem inteligência artificial envolvida. 

Isso não quer dizer que se deva desconsiderar a importância do olhar humano, mas sim que ele deve ficar reservado para a análise de situações específicas em que nem mesmo o sistema é capaz de determinar a autenticidade de um documento.

Estamos falando do modelo de análise documental que fazemos uso aqui na Combate à Fraude: a documentoscopia semi-digital, na qual 90% dos documentos de identidade são avaliados por um sistema inteligente e só os outros 10% passam pelo olho humano de um perito.

A análise é feita com base em diversos padrões do documento, que devem estar de acordo com o período da sua emissão. Para facilitar, aqui na Combate à Fraude, conseguimos transformar todas essas regras em código de programação. 

Por exemplo: um dos indícios de que um RG foi fraudado está no seu alinhamento e o nosso sistema foi ensinado a ler essa informação automaticamente por meio da imagem do documento.

O sistema também consegue identificar, através da foto do RG que chega no onboarding, se o documento foi adulterado digitalmente. Por exemplo, se a pessoa usar o Photoshop e editar o RG, a documentoscopia semi-digital facilmente pode detectar isso, algo que uma pessoa, a olho nu, talvez não consiga.

A documentoscopia semi-digital configura-se, portanto, num processo menos subjetivo, que tem contribuído significativamente para melhorar os resultados na área de prevenção às fraudes de identidade nas empresas.

Além do mais, nossa equipe está em constante atualização e sempre buscando se antecipar às possíveis falhas, para garantir o máximo de eficiência possível com o uso do sistema.

E sabe o que é mais revolucionário? É que, para obter um resultado assim, o nosso cliente não precisa pagar o valor mensal do salário de um ou mais peritos, mas sim um valor muito baixo por consulta de documento. 

Ficou interessado e gostaria de testar a solução? Solicite uma demonstração gratuita agora mesmo e aguarde o contato de um especialista em combate à fraude!

Mais artigos

Por que a verificação de identidade se tornou vital no mercado iGaming

Ascensão do mercado iGaming tem chamado a atenção de um público bastante indesejado: os fraudadores.

Read Story

Entenda o que é fingerprint de dispositivo

Conheça o conceito de fingerprint de dispositivo e saiba como o método auxilia na prevenção de fraudes de identidade.

Read Story

Como o background check auxilia apps de mobilidade urbana

Uma ferramenta de background check pode ajudar apps de mobilidade urbana a impedir a contratação de pessoas sem habilitação e/ou mal intencionadas.

Read Story

Não perca uma postagem.

Se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo assim que publicado.
Não iremos compartilhar seu email com terceiros.