Back to Blog

Como definir as fontes de consulta no background check

Redação CAF

Você precisa saber mais sobre seus clientes, colaboradores e parceiros de negócio, mas tem dificuldade para definir quais fontes de consulta deve fazer uso no processo de background check da sua empresa? Se sim, saiba que essa dúvida não é só sua.

Pensando nisso, a CAF produziu este conteúdo com os pontos-chave que precisam ser considerados nesse processo decisório: relevância da consulta, necessidade de compliance e legalidade do processo.

Siga com a leitura para ampliar seu conhecimento sobre o assunto e otimizar seu processo de background check.

Os 3 pontos-chave para considerar na definição das fontes de consulta

Relevância da consulta

Inicialmente, você precisa ter clareza sobre o que busca extrair de cada fonte e como aquela informação será utilizada dentro do seu negócio. Não faz sentido, por exemplo, consultar diversas fontes de forma indiscriminada sem saber como aquilo se relaciona com seu negócio. 

Vejamos um exemplo: no setor financeiro, para fins de concessão de crédito, temos diversas bases de dados que podem ser consultadas para a obtenção de informações sobre os clientes. Por exemplo: Assistência Social do Governo, Bacen - Quadro Geral de Inabilitados, Estimativa de Patrimônio e Renda, Histórico Profissional, SPC - Restrições financeiras e Score, dentre outras. 

Por outro lado, não faria sentido, à primeira vista, consultar fontes que não contribuem diretamente para esse tipo de análise, como relacionamentos pessoais e afins.

Ou seja, a regra aqui é sempre atentar para a peculiaridade do seu negócio, ou seja, escolher somente aquelas fontes de consulta que vão realmente fazer sentido para sua empresa.

Necessidade de compliance

Outro ponto que deve ser analisado com atenção ao definir suas fontes de consulta no background check é a necessidade do seu negócio ser e estar em compliance.

Não sabe o que é compliance? Já falamos sobre o assunto aqui neste blog post

Muitas vezes, por normativas governamentais ou até mesmo de compliance interno, é necessário validar algumas informações antes de aprovar a entrada de um cliente, colaborador ou parceiro na base de uma empresa. 

Um exemplo disso é a checagem de Pessoas Expostas Politicamente (PEPs) e listas restritivas por parte de instituições financeiras, cuja ação é uma exigência legal com o objetivo de prevenir os crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. 

Então, lembre-se disso, a definição de fontes de consulta no background check deve passar também pela identificação das regulamentações que incidem sobre sua empresa para que, a partir disso, seja possível determinar os tipos de checagem que você deve realizar para ser e estar em compliance.

Legalidade do processo

Falar em background check é falar em tratamento de dados pessoais, o que exige o devido respeito aos limites legais sobre o assunto.

O entendimento atual é de que o tratamento de dados pessoais nesse contexto é permitido desde que seja voltado para uma finalidade legítima e não para fins discriminatórios.

Por exemplo: no caso de consultas em Tribunais de Justiça, que permitem identificar processos nos quais a pessoa está envolvida, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) já firmou a tese de que a prática “é legítima e não caracteriza lesão moral quando amparada em expressa previsão legal ou justificar-se em razão da natureza do ofício ou do grau especial de fidúcia exigido”.

Esse seria o caso de, por exemplo, empregados domésticos, cuidadores de menores, idosos ou deficientes, motoristas rodoviários de carga, empregados que manejam ferramentas de trabalho perfurocortantes, bancários e afins, trabalhadores que atuam com substâncias tóxicas, entorpecentes e armas e trabalhadores que atuam com informações sigilosas.

Confira também: O que a LGPD diz sobre o tratamento de dados pessoais para prevenir fraudes?

Conte com nossa ajuda

Então, o conteúdo desse blog post lhe deixou mais claro quais são os pontos que você deve considerar na definição das fontes de consulta do processo de background check da sua empresa?

Se essa tarefa ainda assim lhe parece muito difícil ou complexa, você pode contratar a solução de background check da CAF e deixar o nosso time de especialistas lhe ajudar com isso. 

Com o intuito de garantir conformidade com as legislações aplicáveis, a CAF somente utiliza em seus serviços fontes que sejam lícitas e confiáveis, garantindo o acesso do resultado da consulta apenas ao cliente solicitante para evitar qualquer vazamento de dados e informações confidenciais.

Clique aqui para falar com um de nossos especialistas e solicitar uma demonstração da solução de background check agora mesmo.

Mais artigos

O risco de imagem atrelado à falta de investimento em prevenção à fraude

Saiba quais são as consequências de não agir de forma preventiva e como você pode ampliar a proteção do seu negócio.

Read Story

Por que a verificação de identidade se tornou vital no mercado iGaming

Ascensão do mercado iGaming tem chamado a atenção de um público bastante indesejado: os fraudadores.

Read Story

Não perca uma postagem.

Se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo assim que publicado.
Não iremos compartilhar seu email com terceiros.